terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Resoluções de carreira: 10 dicas para não desistir no meio do caminho

Arrumar um bom emprego, conquistar a promoção dos sonhos, gerenciar uma nova área, ter um aumento de salário, desempenhar novas funções… Quantas vezes esses desejos já não fizeram parte das suas promessas de novo ano, mas não foram realizados?

Muitas vezes isso acontece porque a maioria das pessoas pensam que se determinou a realizar seus planos, mas acaba ficando pelo meio do caminho por falta de disciplina, planejamento e o mais importante: entusiasmo.

Passada a euforia inicial, infelizmente muitos abandonam as suas metas no meio do caminho porque perdem a empolgação que gerou aquele desejo.

Por isso, é fundamental saber o que se quer e ter certeza de que aquilo que se pretende alcançar vale realmente a dedicação e entrega.

Pense onde quer estar no futuro, crie uma imagem disso e perceba o quanto isso lhe entusiasma. A partir disso, é só seguir algumas dicas para sair do “quase” e realmente chegar onde se pretende.

A seguir, confira dicas para não desistir e conseguir realizar as metas que pretende para a sua carreira:

1. Diferencie os sonhos de metas – Meta é a forma prática de se realizar e materializar os sonhos.

2. Seja preciso – Faça uma profunda e sincera reflexão sobre o que REALMENTE você deseja.

3. Registre a meta – Anote fisicamente todas as metas para que nenhuma fique apenas na mente, dividindo-as em curto, médio e longo prazo.

4. Defina um plano de ações – Parta da meta macro para metas micros com pequenas práticas diárias ou semanais. Comece pelas mais fáceis de serem alcançadas, desta maneira sentirá a satisfação e recompensa pela dedicação.

5. Aja – Lembre-se: Não importa se o “ano novo” é apenas uma divisão cronológica ou um recomeço, o que realmente importa são as atitudes que terá para que quando terminar, tenha sido grandioso.

6. Persista – Por mais eficaz que um plano seja, somente a execução gerará resultados. Portanto, não esmoreça.

7. Acompanhe – Para não perder de vista, determine um dia da semana para checar o que foi feito e reprograme o que ficou pendente.

8. Seja guardião dos seus sonhos – Não permita que pessoas negativas influenciem seus pensamentos, tampouco seja auto-sabotador.

9. Tenha disciplina – O principal fator de desistência dos projetos está exatamente no “depois eu faço”, gerando o acúmulo de atividades e desestímulo em decorrência de preguiça.

10. Agradeça – A gratidão gera um processo satisfatório na relação com o universo fazendo com que a lei da atração torne-se uma constante.

Se deu certo, continue. Se não deu, inove, faça diferente. Se ficou no quase, persista.

Por Maurício Seriacopi

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O QUANTO SUAS ESCOLHAS TEM IMPACTADO EM SUA VIDA?

Todas as nossas escolhas e atitudes geram consequências direta ou indiretamente em nossa existência, conscientes ou NÃO, as escolhas são nossas, assim como as consequências delas também, impactando no momento atual e em muitos casos no futuro, pois o efeito das mesmas podem durar por toda vida.
Algumas vezes, não somos responsáveis por aquilo que nos acontece, mas somos responsáveis por nossas reações diante do acontecimento.
        “Não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito.”
 William Shakespeare
Como suas ações tem impactado em sua vida, sente-se fortalecido? Ou o que te demanda é a fragilidade?
O condicionamento, o medo de não sermos bons o suficiente, não sermos aceitos, ou amados, podem acabar nos impedindo de seguir em frente, evoluir, progredir.
Não podemos continuar transferindo nossas responsabilidades, nossos problemas, para os outros, culpando a terceiros pelas coisas estarem fora de controle. A partir do momento que deixamos de nos vitimizar e passamos a entender que são nossas escolhas que fazem toda diferença, mudamos o foco, passando a entender que tudo depende de nós mesmos, acolher a dor, os sofrimentos, ou superá-los! Levantar a cabeça e buscar as melhores soluções para os mesmos; modificando nosso jeito de pensar, nossa compreensão sobre nós mesmos, deixando de construir expectativas e depositá-las em outras pessoas.
A auto-observação é um quesito importante para reconhecer e caso necessário, reparar os erros e iniciar uma reestruturação, adotando uma nova postura, novas escolhas, reescrevendo assim nossa história.
É essencial o comprometimento sincero com a verdade, respeitando sua originalidade, simplicidade, parando de se auto sabotar, bancar o carente, evitar o coitadismo, ou até mesmo o clichê “foi obra do destino” e desta forma, começar a ter ações mais proativas sobre nossas condutas e comportamentos, passando a encarar essencialmente a realidade, o que muitas vezes exige sacrifício, determinação e auto responsabilidade.
Não, não podemos ter tudo, mas podemos fazer com que nossa vida seja extraordinária, em consonância com escolhas honestas que expressem nossa verdadeira identidade, uma jornada mais leve, sincera, com significado e realizações, coerentes com nossos valores.
Não se acomode com as inadequações, a mediocridade, vivendo de maneira a se apegar a desolações, dificuldades, obstáculos e medos; mantenha-se em constante movimento, foque em suas qualidades, potencialize seus pontos fortes, defina melhor seus resultados através de autorreflexão, novas percepções, novas escolhas.
Ir se superando a cada dia não se trata só de habilidade, competência, mas de acreditar e ter coragem de buscar o que tanto se almeja. Muitas pessoas podem dizer que não vai conseguir, não vencerá, mais isso é a realidade delas, não a sua! Corra atrás do que você acredita, deseja, tenha bravura, supere-se, seja um conquistador!
Se tudo acabou? Recomece! Aprenda! Você tem um dia após o outro para fazer tudo novo, melhor, diferente! Decida mudar sua vida, passe a ser feliz agora, não precisa ficar esperando que certos sonhos se realizem para ser feliz e alegre. Viver bem e intensamente depende essencialmente de você!
Qual sua escolha para hoje? Continuar a se lamentar pelo que deu errado, pelo que deixou de fazer ou algo que não saiu como gostaria? Ou criar coragem, parar de reclamar e agir, seguir em frente?
ELIANE BRANCO



sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Procuram-se pessoas com Temperança

Temperança é uma daquelas palavras da Língua Portuguesa que quase todo mundo já ouviu falar, mas não sabe bem ao certo o que significa.

E isso é uma pena, afinal se a Temperança fosse mais cultivada entre as pessoas, teríamos, sem dúvida, um mundo bem melhor.

Derivada da filosofia Platônica e adaptada por Santo Agostinho e São Tomás de Aquino, a Temperança é uma das virtudes ditas universais e significa equilibrar, colocar sob limites, moderar a atração dos prazeres e assegurar o domínio da vontade sobre os instintos.

Por ser a virtude que modera os desejos e as paixões inferiores, é uma das bases de sustentação das Grandes Escolas Iniciaáticas Modernas.

Ser uma pessoa temperante significa ter a capacidade de colocar a Vontade, ou aquilo que nos torna divinos, acima dos Desejos, ou aquilo que nos torna animalizados.

Pessoas temperantes vivem pautadas em propósitos e possuem uma visão mais integrada do mundo e do ser humano, agindo naturalmente de forma mais altruísta.
Profissionais temperantes possuem naturalmente um maior sentido de cooperação, pois fazem com que o compromisso com os objetivos maiores esteja acima da necessidade de competir com os outros.

Por isso, desenvolver a Temperança nos indivíduos é um passo fundamental para se formar time que tira a “Missão da empresa” do papel e a coloca em prática.

Trabalhar com e para uma missão exige que, muitas vezes, deixemos de lado os nossos interesses pessoais em favor dos interesses coletivos e organizacionais.

Em outras palavras, que sejamos capazes de abrir mão dos desejos para realizar uma vontade maior, que transcende a nós mesmos. Isso é Temperança.

No papel, isso pode parecer fácil. Na prática, é bastante difícil, pois cultivar essa virtude exige determinação e disciplina para vencermos o nosso lado egoísta e os nossos próprios medos.

Acredito que, como com qualquer virtude ou comportamento, o primeiro passo para se desenvolver a Temperança é fazermos a escolha de mudarmos para melhor, de desenvolver o comportamento.

Em seguida fazermos um profundo exame de consciência e refletirmos onde estamos e o quanto precisamos mudar, melhorar.

E, a partir daí, exercitar. Praticar no dia a dia, sabendo que as mudanças não acontecem de uma hora para outra. Mas, ao contrário, são fruto da persistência e do comprometimento.

Talvez a caminhada seja longa, mas o que importa é que, ao final, estaremos mais perto de nós mesmos.

E, mais do que isso, que cada passo dessa caminhada trará como resultado natural uma maior facilidade nos mais diversos aspectos de nossas relações interpessoais.

Então, se a caminhada é dura, sejamos temperantes, deixando de lado o desejo de desistir, de ficar acomodado, e escolhendo a vontade de crescer…



quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

9 poderosas formas de se motivar agora

A primeira coisa que você precisa saber sobre motivação é que ela é uma decisão, não uma emoção. Ninguém acorda pronto para encarar um dia de trabalho todos os dias, nem quem faz o que gosta, nem quem trabalha com praias, golfinhos, ou é um Provador Profissional de Sorvete. Todo mundo acorda meio mal de vez em quando, ou de vez em sempre.
Quem está sempre motivado não é um abençoado, é alguém que conscientemente decide mudar seus hábitos para ser mais motivado. Confira a seguir 9 dessas decisões que você pode fazer no seu dia-a-dia para ficar mais motivado.
1. Divirta-se
Mesmo que a sua tarefa atual seja chata, rebele-se contra ela e divirta-se. Transforme a situação em um jogo, mesmo que você não esteja muito no clima no começo. O que é agradável de se fazer onde você estará a seguir? O que é engraçado sobre onde você está? Do que você odeia, o que faz você sorrir?
A única razão para transformar as coisas em assuntos sérios é porque você decide que elas sejam assim.
2. Aja diferente
Como você age hoje, é o que você se tornará. O futuro não se constrói do nada, você tem que começar a construir a pessoa que você quer ser ainda hoje, ou ela nunca vai acontecer. Não existe mais tarde. Hoje é o futuro. Por isso, se você quer ser o melhor Provador de Sorvete do Mundo, comece a agir como tal. O que esse tipo de pessoa faz todo dia? Como eles agem?
3. Sente consigo mesmo
Não faça nada, sente, respire fundo e entre no papel de observador da sua vida por um momento. Não faça nada por pelo menos cinco minutos e deixe que os seus ombros caiam, que os seus pensamentos vão embora.
Assista de longe os seus pensamentos e perceba que fazendo isso, você não é as suas emoções ou os seus pensamentos. Um observador é capaz de analisar a própria realidade sem se perder no agora e nas emoções.
4. Arrume suas coisas
Um ambiente limpo é mais motivador do que muita gente imagina. Por isso evite distrações, desligue o seu celular e jogue o lixo fora. Quanto menos distrações, melhor você vai se sentir.
5. Mude o seu foco
Ao invés de focar no que as pessoas pensam sobre você, mude o seu foco para ajudar aqueles ao seu redor a se sentirem bem. Qual o pequeno gesto que pode melhorar a vida de alguém?
6. Pergunte “O que é bom?”
É fácil focar em todas as coisas que precisam melhorar na sua vida, em todos os seus defeitos e em todos os lugares onde você quer chegar e esquecer de tudo o que você é de bom, tudo o que você já conquistou e todas as coisas boas na sua vida. Porque você já se acostumou com essas coisas, e a sociedade treina todo mundo a querer mais sempre. O que não é ruim, e também não é culpa sua.
Pegue um caderno e anote tudo de positivo na sua vida, nenhuma resposta está abaixo de você. Ter consciência de todas as coisas boas faz com que você se sinta melhor agora, e as vezes só isso basta para se livrar das suas preocupações.
7. Pense nos seus problemas de outra forma
Pense em problemas como oportunidades para melhorar. Não pense no trabalho que dá resolvê-los e não pense nos aspectos negativos, lembre-se que a vida é um grande exercício e que as vezes cabe um ajuste aqui ou ali. Tudo não tem que ser perfeito o tempo todo, mas você é quem decide o que é o fim do mundo e o que é só um pequeno ajuste.
8. Vá com calma
Você não precisa fazer tudo de uma vez, vá com calma e divida as suas tarefas em passos pequenos. Comece com algo ridiculamente pequeno e vá construindo a partir disso. Sem pressa. Andar é mais fácil depois que você já começou.

9. Faça algo mal
Não existe nada de errado em não ser bom em alguma coisa. Ria sobre a sua falta de habilidade em alguma coisa, admita que você não é bom em tudo e veja como a sua atitude muda.

Fonte: http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2016/12/01/1147078/9-poderosas-formas-motivar-agora.html#

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

O fantástico potencial do Ser Humano

E eis que cortando o céu para salvar todos os cidadãos de Metrópolis, em uma velocidade espantosa, surge ele, o Super Homem.

Alto, forte, bonito e com brilhantes olhos azuis, encarnando todo o arquétipo do herói na figura do imigrante do planeta Krypton, o ator Christopher Reeve fazia bater o coração de muitas moças e despertar o sentimento de aventura em muitos rapazes.

O filme Superman, lançado em 1978, e depois com suas novas versões, mexeu durante muitos anos com o imaginário das pessoas em todo o mundo.

Mas, por uma enorme ironia do destino, após sofrer um acidente ao cair de um cavalo, Christopher Reeve ficou tetraplégico.
O herói que só podia ser vencido pela Kryptonita, estava imobilizado do pescoço para baixo.

O que poucas pessoas sabem é que foi exatamente após o acidente que o ator assumiu de fato o seu lado heróico. Não mais nas telas, mas no palco da vida real.

Christopher iniciou uma brava luta por um tratamento que o fizesse recuperar seus movimentos. Em sua busca, atuou em defesa dos estudos para o tratamento com as células-tronco, criou e presidiu uma fundação para o amparo a pessoas com paralisia, tornou-se ativista da Unicef e da Anistia Internacional. Após ter ficado tetraplégico, o ‘Super Homem’ engajou-se ainda numa série de outros assuntos de interesse coletivo, criando projetos e buscando recursos financeiros para a sustentabilidade dos mesmos.
Paradoxalmente, o ator, o homem, tornou-se mais forte. É como se as limitações e as dificuldades tivessem feito aflorar um enorme potencial latente.

Helen Keller, devido a uma doença não definida, tornou-se cega e surda aos 18 meses de vida. As limitações faziam com que aos sete anos de idade, Helen levasse uma vida puramente instintiva.
Mas, aquilo que poderia ser motivo para uma vida presa às limitações, para Helen Keller se tornou uma força propulsora.
Graduou-se em uma escola para pessoas ‘normais’, apesar de não poder ouvir e ver as aulas. Estudou Geometria, Álgebra, Física, Botânica, Zoologia e Filosofia. Escrevia fluentemente em Inglês e Francês. Escreveu livros notáveis. Tornou-se conferencista ao redor do mundo.
Influenciou e serviu de exemplo para milhões de pessoas.

Quando olho para esses e para muitos outros exemplos de superação e, ao mesmo tempo, vejo pessoas dotadas de enormes potencialidades se sentindo incapazes de ir além, de fazer melhor, de fazer a diferença, fico me questionando sobre essas diferenças.

O que torna essas atitudes tão diferentes e tão divergentes? Seriam pessoas como Christopher Reeves e Helen Keller verdadeiros super heróis? Ou seriam eles tão humanos quanto essas pessoas que se sentem incapazes, com a diferença de que essas pessoas simplesmente não deixaram ainda que aflorasse o seu verdadeiro potencial humano?

Talvez a resposta a essa pergunta seja mesmo apenas uma questão semântica…

Mas, ainda assim, é preciso entender onde está a diferença. Descobrir qual o segredo desses heróis ou, se preferirem, super-heróis.

Eu acredito que a grande diferença está naquilo que escolhermos acreditar sobre nós mesmos.

Concordo plenamente com Anthony Robbins, o mais popular autor da Programação Neurolinguística quando ele diz: “O que podemos ou não fazer, o que consideramos possível ou impossível, é raramente em função de nossa verdadeira capacidade. Trata-se mais provavelmente de uma função de nossas crenças sobre quem nós somos”.

As nossas crenças podem nos levar ao céu ou ao inferno. Mais do que isso, as nossas crenças nos transformam naquilo que somos a cada momento.

Mas, uma das coisas mais maravilhosas de ‘ser humano’ é que sempre podemos mudar, afinal, somos livres para nos reinventarmos a qualquer momento.

Podemos deixar o nosso potencial adormecido ao longo de toda uma vida ou deixá-lo explodir e nos transformar naquilo que queremos ser.

E, o mais bonito é perceber que toda essa liberdade tem apenas um preço: o de sermos os únicos responsáveis por nossas vidas.
Limitações são crenças que estabelecemos sobre nós mesmos.
Sucesso ou fracasso nada mais são do que escolhas pessoais.
E o mais importante: Nós, e apenas nós, somos os construtores dos nossos destinos.


terça-feira, 29 de novembro de 2016

Sonhos

Um dia uma criança chegou diante de um pensador e perguntou-lhe: "Que tamanho tem o universo?". Acariciando a cabeça da criança, ele olhou para o infinito e respondeu: "O universo tem o tamanho do seu mundo". 

Perturbada, ela novamente indagou: "Que tamanho tem meu mundo?". O pensador respondeu: "Tem o tamanho dos seus sonhos".

Se seus sonhos são pequenos, sua visão será pequena, suas metas serão limitadas, seus alvos serão diminutos, sua estrada será estreita, sua capacidade de suportar as tormentas será frágil.

Os sonhos regam a existência com sentido. Se seus sonhos são frágeis, sua comida não terá sabor, suas primaveras não terão flores, suas manhãs não terão orvalho, sua emoção não terá romances.

A presença dos sonhos transforma os miseráveis em reis, faz dos idosos, jovens, e a ausência deles transforma milionários em mendigos faz dos jovens idosos.

Os sonhos trazem saúde para a emoção, equipam o frágil para ser autor da sua história, fazem os tímidos terem golpes de ousadia e os derrotados serem construtores de oportunidades.

Sonhe!



segunda-feira, 28 de novembro de 2016

VEJA SE VOCÊ É COMPROMETIDO - Luiz Marins


Quando perguntamos a qualquer empresário, presidente, diretor, gerente, supervisor, chefe, o que ele mais deseja de seus colaboradores, a resposta é imediata:

“Gostaria que eles fossem mais comprometidos”. 

Quando perguntamos a amigos, professores, pais, filhos, membros de clubes e associações o que eles mais sentem falta nas pessoas de seu relacionamento a resposta é a mesma. 

“Gostaria que as pessoas fossem mais comprometidas”. 

Mas, afinal, o que é de fato, “ser uma pessoa comprometida”? 

Veja 10 coisas que nos disseram: 

1. Uma pessoa comprometida procura sempre colocar-se no lugar das outras; sentir o que as outras sentem; 

2. Uma pessoa comprometida faz tudo com atenção aos detalhes. 
Ela presta atenção em tudo o que faz, no detalhe do detalhe; 

3. Uma pessoa comprometida termina o que começa e não deixa as coisas pela metade; 

4. Uma pessoa comprometida vem com soluções, e não com mais problemas, quando tem uma tarefa a cumprir; 

5. Uma pessoa comprometida pergunta o que não sabe e demonstra vontade de aprender. 
Vai fundo até dominar o que não sabe e deveria saber; 

6. Uma pessoa comprometida cumpre prazos e horários; 

7. Uma pessoa comprometida não vive dando desculpas por seus atos e nem procura culpados pelos erros cometidos; 

8. Uma pessoa comprometida não vive reclamando da vida e falando mal das pessoas. 
Ela age para modificar a realidade; 

9. Uma pessoa comprometida não desiste facilmente. 
Ela não descansa enquanto não resolver um problema. 
Ela vai atrás da solução. 

10. Uma pessoa comprometida está sempre pronta a colaborar com as outras. Ela participa. 
Dá idéias. 
Você pode contar com ela. 

Nesta semana, pense se as pessoas avaliam você como alguém verdadeiramente comprometido. 

Comprometa-se! 

Pense nisso. Sucesso! 
Luiz Marins