sexta-feira, 21 de novembro de 2014

AUTO CONFIANÇA, AUTO ESTIMA E PERSEVERANÇA: TRÊS PILARES PARA O SUCESSO

Para entendermos melhor como chegar ao sucesso e a realização de nossos sonhos e objetivos, precisamos arar, olharmos para dentro de nós e encontrarmos três pilares essenciais para os desafios que teremos na vida, pois podemos passar por várias situações e sensações no trabalho, nos relacionamentos familiares e amorosos, nas amizades e tudo que o meio nos oferece para o nosso desempenho e realização.

Começamos pela auto estima, muito se fala mas pouco sabemos o que é e como tê-la, portanto de forma  objetiva  é o julgamento e a apreciação que cada um tem de si mesmo, é a capacidade de gostar de si, ou seja ter uma auto-avaliação positiva através de seu autoconhecimento. Conhecer a si próprio é o primeiro passo para o seu sucesso, pois através de um diálogo interior você  enxergará seus limites, irá valorizar suas virtudes e qualidades, checar seus pontos fortes e fracos e sentir-se bem consigo mesmo. É uma escolha que influenciará  diretamente o nível de resultados na sua vida.

A auto confiança significa a confiança em si mesmo, ou seja as pessoas autoconfiantes são decididas, sem erem arrogantes ou defensivas, apresentam-se de maneira segura, têm facilidade de expressar suas opiniões, enfrentam desafios, dominam novos trabalhos e tomam decisões sensatas mesmo sob pressão. Para se ter auto confiança é necessário buscar vencer os medos e tentar superar as próprias fragilidades.

Perseverança é conhecida como não desistir, continuar e eu gosto da forma como Catherine Ponder menciona em seu livro Leis Dinâmicas da Prosperidade ...é uma atitude de posso conseguir... ou seja comporta coragem, audácia e ousadia. Ela não titubeia, mas prossegue sempre e continua trabalhando com afinco até conseguir o resultado que deseja.

Como mencionei no inicio passamos por várias áreas da vida que possam nos trazer a rejeições, conflitos, crises, erros, desvalorizações, fracassos e passarmos a perdermos a esperança. Em algumas situações o ser humano pode ter sua autoestima e auto confiança abaladas, mas será essa sensação e vontade  de que vou conseguir que irá fazer você continuar a conquistar o que a vida pode de melhor proporcionar.

Conheço pessoas que reclamam do mundo por acreditar que são vítimas dos acontecimentos, mas há também pessoas que transformam os obstáculos em grandes estímulos para se tornarem melhores. O que diferencia os bem-sucedidos dos medíocres, é em grande parte a capacidade de olhar o mundo como oportunidade de crescimento, aprendizagem, e tomando as decisões com riscos, flexibilidade e perseverança para mudar o rumo de suas vidas.

E você já sabe o que vai precisar fortalecer para chegar ao sucesso?

Abraços,

Viviane Mourão

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Será que está na hora de dizer adeus?

Tudo está bem. A empresa prospera a cada dia, mostrando crescimento constante. O clima organizacional é positivo e as pessoas mostram-se motivadas e comprometidas com a empresa. Você tem um cargo de confiança, uma boa remuneração e é reconhecido por seu trabalho. Parece a empresa dos sonhos e você trabalha nela. Quem não gostaria de estar em seu lugar? A maioria das pessoas. Exceto você!

Apesar de tudo estar correndo às mil maravilhas, você não está feliz. Você gosta do seu trabalho e se sente desafiado, mesmo assim sente que algo lhe incomoda e tem dificuldade de identificar o que é. A empresa sinaliza a você uma promoção e, mesmo assim, seus olhos não brilham.

Pode parecer estranho, mas acontecem situações onde os profissionais se sentem exatamente assim. Olham em volta e tudo parece perfeito. Chegam até a se sentir culpados por não estarem feliz. Analisando uma situação como essa, facilmente se percebe que a causa não está fora, no ambiente. Ela está dentro, na pessoa.

Ao avaliar a situação, o profissional nota uma discrepância entre o rumo da empresa e seu rumo de carreira. Ambos caminham em direções diferentes, se desencontram. Além disso, vê que seus valores e os da empresa não coincidem, embora perceba que a organização não mudou (ou mudou muito pouco). Esta permanece fiel à sua missão, visão, valores e objetivos, mantendo o mesmo estilo de gestão que tinha no período em que você era feliz.

Algo mudou na pessoa. Mas o que pode estar acontecendo?

O mercado muda, as empresas também, por pura necessidade de sobrevivência. Os profissionais, por sua vez, acostumaram-se e também são obrigados a mudar conforme a demanda destes primeiros. É preciso dançar conforme a música. O que muitos não se dão conta é que os profissionais também mudam, apesar do que se espera deles.

No decorrer da carreira, os profissionais amadurecem. Neste processo, redefinem seus valores e objetivos. Os acontecimentos em sua vida pessoal e profissional impactam em sua forma de pensar, sentir e decidir. Obtém-se maior clareza do que se quer e como chegar lá e se aprende que as suas decisões são determinantes para a sua felicidade e que a(s) empresa(s) faz parte de sua vida, mas não tem responsabilidade por nosso futuro.

Portanto, após uma análise aprofundada de si mesmo e da empresa, se o resultado da comparação entre os objetivos da organização versus seus objetivos for negativo, é sim o momento de pensar na pergunta que encabeça este artigo.

Dizer adeus nesta situação pode vir a ser a melhor solução para ambos. A permanência de um profissional não satisfeito em sua ocupação atual pode desmotivá-lo, fazer seus resultados caírem e também os dos colegas da empresa. Os dois estão sendo prejudicados. Fazer as malas não significa simplesmente abandonar o barco. É possível fazer uma transição gradual e acordada com a empresa, de forma que ela possa se preparar para substituí-lo e que permita que você também planeje seus próximos passos.

Pode não parecer fácil e realmente não é. Mas buscar a realização profissional depende de cada um e por vezes são necessárias decisões difíceis para garantir um futuro feliz. Tudo depende somente de você.

Luciana Serafin - Coordenadora de Operações

Fonte: http://www.debernt.com.br/debernt/insights/artigos_interna.asp?id=28

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Como transformar gestores em líderes?

Tatsumi Roberto Ebina

Problemas de gestão são comuns em diversas empresas de variados segmentos e portes. Profissionais desmotivados, cansados e estressados com as tarefas do dia a dia, fatores como esses aumentam cada vez mais a rotatividade dentro das empresas, tanto no alto escalão quanto em níveis hierárquicos inferiores. Entretanto, será que as ausências de verdadeiros líderes não contribuem para agravar esse problema? Transformar os atuais gestores em líderes pode ser uma das saídas para enfrentar o tão falado ´apagão de talentos´.

No caso das empresas que já possuem líderes preparados para os novos desafios da área de gestão a falta de preparação de um possível sucessor também pode acarretar prejuízos às companhias. Estudo do Korn/Ferry Institute, ligado ao Korn/Ferry International aponta que as empresas brasileiras não estão preparadas para a sucessão de seus líderes. Para 64% dos executivos entrevistados, as organizações a que pertencem não possuem um plano de sucessão estruturado e definido para seus principais líderes. 

Para Tatsumi Roberto Ebina, com mais de 30 anos de experiência na área de gestão e liderança e sócio-fundador da Muttare, consultoria de gestão, há uma dificuldade das pessoas repensarem o seu modelo atual de gestão, baseado no comando e controle, além disso, o despreparo das companhias na transformação dos seus gestores em verdadeiros líderes se reflete no que mais ouvimos hoje de reclamações: o apagão de talentos. "Os profissionais estão aptos a desempenhar diversas funções, porém, com gestores despreparados para lidar com esses colaboradores, a responsabilidade e comprometimento da equipe se tornam cada vez mais obsoletos", comenta Ebina.

Vamos ficar somente no segundo ponto: "as companhias precisam enxergar que ao transformar gestores em verdadeiros líderes, alguns problemas que a empresa possui poderão ser atenuados ou até sanados. Vamos entender que estamos falando do líder com coragem para dizer o que é necessário mudar, que inspira o seu time a buscar cada dia mais, que liberta as pessoas para que eles possam genuinamente transformar o que têm de potencial em desempenho, permitindo que elas realizem o que sonham", ressalta Ebina.

O consultor acredita que tendo um colaborador mais comprometido com a empresa e com liberdade para trabalhar, exercendo funções que o permitam ir além, o funcionário se sentirá mais confiante para resolver determinados problemas da organização. Estamos em um mundo mais democrático, com movimentos em busca de mais liberdade e democracia e, precisamos pensar em eliminar todas as posturas dentro das organizações que sejam ´castradoras´ e ´escravizantes´, pois elas existem.

A tarefa para transformar gestores em líderes exige comprometimento árduo, tanto da companhia quanto dos gestores (futuros líderes) e funcionários. Ebina afirma que diagnosticar a necessidade da equipe, descobrir as habilidades de cada colaborador, acreditar nas decisões em conjuntos, além do fato de não querer puxar toda a responsabilidade para si, deixando sua equipe cada vez mais apta a desempenhar com qualidade suas funções, são apenas alguns dos muitos desafios que os gestores possuem antes de estarem aptos a exercerem um papel de líder. 

"Burocratizar a gestão é péssimo para os resultados. Impedir a criatividade e o entusiasmo do profissional poderá colocar em cheque todo o processo. As teorias de gestão com mais de cem anos de existências precisam ser revistas. E o líder, tendo autonomia, poderá contribuir muito para essa reformulação", conclui Ebina.


terça-feira, 18 de novembro de 2014

Stress

Em uma conferência, ao explicar para a platéia a forma de controlar o estresse, o palestrante levantou um copo com água e perguntou:

-"Qual o peso deste copo d'água? "

As respostas variaram de 250g a 700g.

O palestrante, então, disse:

- "O peso real não importa. Isso depende de por quanto tempo você segurar o copo levantado."
"Se o copo for mantido levantado durante um minuto, isso não é um problema. Se eu o mantenho levantado por uma hora, vou acabar com dor no braço. Mas se eu ficar segurando um dia inteiro, provavelmente eu vou ter cãibras dolorosas e vocês terão de chamar uma ambulância."

E ele continuou:

STRESS

- "E isso acontece também com o estresse e a forma como controlamos o estresse. Se você carrega a sua carga por longos períodos, ou o tempo todo, cedo ou tarde a carga vai começar a ficar incrivelmente pesada e, finalmente, você não será mais capaz de carregá-la."
"Para que o copo de água não fique pesado, você precisa colocá-lo sobre alguma coisa de vez em quando e descansar antes de pegá-lo novamente. Com nossa carga acontece o mesmo. Quando estamos refrescados e descansados nós podemos novamente transportar nossa carga."

Em seguida, ele distribuiu um folheto contendo algumas formas de administrar as cargas da vida, que eram:

1 *  Aceite que há dias em que você é o pombo e outros em que você é a estátua.

2 *   Mantenha sempre suas palavras leves e doces pois pode acontecer de você precisar engolir todas elas.

3 *   Só leia coisas que faça você se sentir bem e ter a aparência boa de quem está bem, caso você morra durante a leitura.

4 *   Dirija com cuidado. Não só os carros apresentam defeitos e têm recall do fabricante.

5 *   Se não puder ser gentil, pelo menos tenha a decência de ser vago.

6 *   Se você emprestar R$200,00 para alguém e nunca mais vir essa pessoa, provavelmente valeu a pena pagar esse preço para se livrar dela.

7 *   Pode ser que o único propósito da sua vida seja servir de exemplo para os outros.

8 *   Nunca compre um carro que você não possa manter.

9 *   Quando você tenta pular obstáculos lembre que está com os dois pés no ar e sem nenhum apoio.

10 *   Ninguém se importa se você consegue dançar bem. Para participar e se divertir no baile, levante e dance, pronto.

11 *   Uma vez que a minhoca madrugadora é a que é devorada pelo pássaro, durma até mais tarde sempre que puder.

12 *   Lembre que é o segundo rato que come o queijo - o primeiro fica preso na ratoeira. Saiba esperar.

13 *   Lembre, também, que sempre tem queijo grátis nas ratoeiras.

14 *   Quando tudo parece estar vindo na sua direção, provavelmente você está no lado errado da estrada.

15 *  Aniversários são bons para você. Quanto mais você tem, mais tempo você vive

16 *  Alguns erros são divertidos demais para serem cometidos só uma vez.

17 *   Podemos aprender muito com uma caixa de  lápis de cor. Alguns têm pontas aguçadas, alguns têm formas bonitas e alguns são sem graça. Alguns têm nomes estranhos e todos são de cores diferentes, mas todos são lápis e precisam viver na mesma caixa.

18 *  Não perca tempo odiando alguém, remoendo ofensas e pensando em vingança. Enquanto você faz isso a pessoa está vivendo bem feliz e você é quem se sente mal e tem o gosto amargo na boca.

19 * Quanto mais alta é a montanha mais difícil é a escalada. Poucos conseguem chegar ao topo, mas são eles que admiram a paisagem do alto e fazem as fotos que você admira dizendo "queria ter estado lá".

20 *  Uma pessoa realmente feliz é aquela que segue devagar pela estrada da vida, desfrutando o cenário, parando nos pontos mais interessantes e descobrindo atalhos para lugares maravilhosos que poucos conhecem.

"Portanto, antes de voltarem para casa, depositem sua carga de trabalho/vida no chão. Não carreguem para casa. Vocês podem voltar a pegá-la amanhã. Com tranquilidade." 

            
"Unir-se é um Bom Começo...
Saber Cultivar a União é uma Conquista...
Trabalhar em Conjunto é uma Grande Vitória". 


Colaboração: Solange Menkaitis 

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Aproveite o seu erro para acertar

Você ousa dizer que nunca errou? Tenho certeza que não, pois todos nós, sem exceção, já fizemos algo ou tomamos alguma atitude falha. Há quem diga, inclusive, que quanto mais erramos, mais experientes ficamos, pois falhar nos dá a chance de entender os motivos que nos levaram ao fracasso, proporcionando-nos a chance de acertar nas próximas vezes. Em nossa trajetória profissional, erramos inúmeras vezes. E, são esses erros que nos permitem crescer profissionalmente e formar quem somos. Não é à toa que muitas empresas preferem colocar em seus cargos de confiança e de estratégias pessoas com uma idade mais avançada, pois esses já erraram o suficiente para saber o que é ideal para uma empresa. 

Antes de continuar, preciso dizer que não vim aqui hoje para defender aos que erram sempre. Acredito que precisamos apenas ter a consciência de que ninguém sabe tudo e muito menos é dono da verdade. Todos podemos errar. Porém, o que precisa estar certo para todos é que a busca pelos acertos precisa ser constante. Quanto mais buscamos acertar, menos erramos. Porém, se o contrário acontece, não há porque se martirizar. 

Aliás, quem tem medo de errar, acaba deixando de lado a busca pela inovação. O medo, seja ele de que natureza for, sempre nos prejudica de alguma forma. Por causa dele, tememos nos arriscar e, para criar, precisamos, indubitavelmente, assumir riscos. Quando o erro é proveniente de tentativas de acertos, ele até pode ser justificável. O que não pode acontecer é uma sucessão de falhas causadas por desleixo, descaso etc.
Erros desse tipo são injustificáveis e inaceitáveis, afinal, falhar acarreta atrasos, aumento de custos e uma série de outros problemas que poderiam ser evitados se houvesse um cuidado maior com o que fazemos. 

Por isso, sugiro que, ao constatar uma falha, reflita sobre sua parcela de culpa. Precisamos ser honestos ao assumir a responsabilidade sobre uma situação mal sucedida. Não adianta buscar culpados, ou apontar falhas alheias para encobrir as suas próprias. A partir do momento em que se assume uma falha, fica mais fácil entender quais foram os motivos que ocasionaram seu insucesso. Sabendo desses motivos, podemos nos policiar para não cometê-los novamente. É daí que vem o ditado “é errando que se aprende”. Se cada um de nós percebesse nossas próprias falhas como oportunidades de aprender e se desenvolver, certamente, perderíamos o medo de tentar coisas novas. Isso vale para qualquer coisa da vida, aliás.
Não se aplica apenas ao nosso universo profissional. 

Porém, não nego que existem algumas maneiras de evitar algumas mancadas. Um deles é agir sempre com calma. É fundamental que cada ação, seja ela nova ou rotineira, seja pensada, planejada e cuidada com dedicação. É preciso ter amor pelo que fazemos. Planejando nossas ações, ficamos menos vulneráveis e mais certos do que precisamos fazer para levar um projeto adiante. Fundamental, também, é ter disciplina. As pessoas que conseguem estipular um processo e segui-lo, sem dúvida, conseguem melhores resultados que aqueles que não se planejam direito. 

Outra coisa extremamente necessária é aprender a se comunicar. O profissional que não sabe se expressar tem uma vida útil muito pequena dentro das empresas hoje em dia. E, saber se comunicar abrange várias condições da comunicação: falar corretamente e de forma que o interlocutor compreenda o que é dito; cuidar da linguagem corporal, para que ela não denuncie o oposto do que você quer dizer; saber ouvir o que os outros dizem e respeitar as opiniões alheias. E, quando digo respeitar as opiniões alheias, refiro-me, inclusive, sobre ponderar sobre essas opiniões.

Infelizmente, conheço muitos profissionais que acreditam apenas em seus conhecimentos, sem considerar o fato de outras pessoas (subordinados, inclusive) terem também boas ideias. 

Por fim, eu diria que o segredo do sucesso é ter humildade para reconhecer que não somos perfeitos e que podemos sim errar. Assumindo nossas próprias falhas diante de todos e de nós mesmos, tornamo-nos pessoas melhores. Se você errou, aproveite a chance para mostrar que está disposto a corrigir suas falhas e, principalmente, a aprender e não cometê-las nunca mais. 

Fonte: http://www.debernt.com.br/debernt/insights/capital_interna.asp?id=242

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Características dos comunicadores de sucesso


Será que os grandes oradores nascem prontos? Será que posso desenvolver competências para me tornar um bom comunicador? Essas são algumas perguntas que ouço com muita frequência, referente ao assunto falar em público. Tenho pesquisado há mais de 11 anos quais são as características dos bons oradores e o que pode tornar uma pessoa um bom comunicador.

Posso afirmar que bons oradores não nascem prontos, eles se fazem. A cada dia podemos melhorar em tudo o que fazemos, inclusive na comunicação. Comunicar-se bem é uma competência que pode e deve ser aprendida, desenvolvida e explorada durante toda a vida.

Domínio do assunto a ser abordado, conhecimento de técnicas de oratória e prática são ingredientes comuns entre os grandes comunicadores. Eles também possuem um profundo e sincero respeito pelos seus ouvintes, além de se comunicar com suas esperanças, expectativas e desejos. Sempre procuram informações detalhadas dos ouvintes, para adequar sempre sua linguagem, marcando suas mentes e seus corações.

Para isso, antes até de iniciarem a fala com simpatia, generosidade e carisma, começam o processo de conquista. Quando começam a falar, as introduções precisam ser criativas, envolventes e muitas vezes surpreendentes. Já as conclusões são o coroamento, instante em que levam os ouvintes a refletir ou agir de acordo com suas propostas. Sendo o bom planejamento um aspecto que os diferencia, sempre se preparando muito bem para suas apresentações. Eles têm consciência que tanto a introdução quanto a conclusão de uma fala são grande trunfos, que devem ser bem explorados.

A simplicidade é outra característica comum. Eles fazem informações e ideias complexas transformarem-se em algo bem simples, próximo ao dia a dia dos ouvintes. Através de exemplos, histórias, metáforas e parábolas, pensamentos e reflexões, envolvem e criam sintonia e proximidade com o público. Como disse Leonardo da Vinci: "A simplicidade é a sofisticação máxima".

Eles exploram bem a voz, colocando ritmo a sua fala. Alternam a velocidade e o volume, utilizam bem as pausas, as inflexões e as entonações, para que os ouvintes tenham uma interpretação do sentimento transmitido pelas palavras.

Quando utilizam recursos visuais, utilizam com bom senso para enriquecer e facilitar o acompanhamento do raciocínio, além de destacar as informações importantes, possibilitando assim a lembrança do assunto por tempo mais prolongado. Todas imagens, citações, vídeos e sons são artifícios utilizados para tornar as mensagens mais claras, além de em algumas situações sensibilizar e emocionar.

São também grandes estudiosos dos assuntos que abordam e eternos aprendizes.
Os bons comunicadores também se preocupam com os pequenos detalhes: gesticulação, postura, olhar e todos os outros aspectos da comunicação não verbal. Importante salientar que qualquer técnica só terá êxito nas mãos daqueles que a utilizam com espontaneidade.

Mas um aspecto faz toda diferença nas apresentações desses grandes comunicadores: o entusiasmo com que eles apresentam suas ideias.
Entusiasmo pelo compromisso com o que se diz, demonstrando interesse e envolvimento pelos assuntos abordados. Sem disposição, energia, envolvimento e emoção por parte de quem fala, dificilmente serão despertados a atenção, o interesse e o envolvimento do público.
Como disse o escritor Anatole France: "Prefiro os erros do entusiasmo à indiferença da sabedoria".

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Presente Precioso

Imagine a vida como um jogo, no qual você faz malabarismo com cinco bolas que são lançadas no ar...

Essas bolas são: o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito.

O trabalho é a única bola de borracha.
Se cair, bate no chão e pula para cima.
Mas as quatro outras são de vidro.
Se caírem n chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas.
Entendam isso e assim conseguirão o equilíbrio na vida.

Como?
Não diminua seu próprio valor comparando-se com outras pessoas.
Somo todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial.
Não fixe seus objetivos com base no que os outros acham importante.
Só você tem condições de escolher o que é melhor para si próprio.

Dê valor e respeite as coisas mais queridas de seu coração.

Apegue-se a ela como a própria vida. Sem elas a vida carece de sentido.

Não deixe que a vida escorra entre os dedos por viver no passado ou no futuro.

Se viver um dia de cada vez, viverá todos os dias de suas vidas.

Não desista enquanto ainda é capaz de um esforço a mais.

Nada termina até o momento em que se deixa de tentar.

Não tema admitir que não é perfeito.

Não tema enfrentar riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser valentes.

Não exclua o amor da sua vida dizendo que não se pode encontrá-lo. A melhor forma de receber amor é dá-lo. A forma mais rápida de ficar sem amor é apegar-se demasiado a si próprio.

A melhor forma de manter o amor é dar-lhe asas. Corra atrás de seu amor, ainda dá tempo!

Não tenha medo de aprender medo de aprender. O Conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente.

Não use imprudentemente o tempo ou as palavras. Não se pode recuperar uma palavra dita.

A vida não é uma corrida, mas sim uma viagem que deve ser desfrutada a cada passo. Lembre-se: Ontem é história. Amanhã é mistério e HOJE é uma dádiva. Por isso se chama ‘presente’.